quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

Davi: O Ungido de Deus Arrependido.

DAVI: O UNGIDO DE DEUS ARREPENDIDO
II Sm 12.1-15

INTRODUÇÃO.
· Encontramos nesta passagem Davi com cerca de 50 anos, já no trono por aproximadamente 20 anos, depois de se destacar como um fiel pastor, um grande guerreiro e um verdadeiro homem de Deus.
· Mostrou ser um homem de grande compaixão, perdoador, longânimo e leal a Deus e seus liderados. Mas, neste episódio marcante na vida de Davi, constataremos que um homem segundo o coração de Deus é passível de falhas, pois é “homem”.
· A natureza carnal produz o mesmo efeito em todos nós, e olhando para Davi neste contexto, devemos lembrar a recomendação bíblica: “... aquele, pois, que pensa estar em pé, cuide para que não caia...” (I Co 10.12). “Está em pé” (isthmi histemi) = Ficar de pé ou permanecer de pé = Continuar seguro e são, permanecer ileso, permanecer pronto ou preparado = Ser de uma mente firme = Ser de qualidade, alguém que não hesita, que não desiste. “Não caia” (piptw pipto) = Cair de algum lugar ou sobre = Descender de uma posição ereta para uma posição prostrada = Perder um estado de prosperidade, vir abaixo = Metaforicamente. Ser submetido a julgamento ou ser declarado culpado.


1. RECAPITULANDO A VIDA DE DAVI – Estudamos a vida do salmista Davi e descobrimos uma história de vitórias e sucessos do rei Davi. Vejamos um breve relatório.
1.1. Um começo humilde. I Sm. 16. 12, 13, 19. 1 Samuel 17:42. Os termos gregos tsalach ou tsaleach = se apossou ou se apoderou, pode significar apressar ou (avançar, prosperar, progredir, obter sucesso, ser proveitoso) = (tornar prospero, conduzir a um bom resultado, fazer prosperar. O v. 19 descreve o quanto Davi era humilde e submisso, cuidando das ovelhas de seu pai.
1.2. Um matador de gigantes. I Sm. 17. 34-37,48-51. Um leão, um urso e o gigante Golias.
1.3. Duas décadas de liderança aprovada. II Sm. 5.1,2. O que me chama a atenção é a expressão dos Israelitas de Todas as tribos no v1. Aceitam e reconhecem a Davi rei por ser ele um israelita pela expressão “teu osso e tua carne”.
1.4. Uma força militar respeitada. II Sm. 8.1-10. V1 - Davi derrota os filisteus e os moabitas. V3 - Fere Hadadezer e os siros. V9 - Toí envia Jorão com presentes para congratular Davi, (porque Hadadezer de contínuo fazia guerra a Toí) V11 - Davi dedica os presentes e o despojo a Deus.
1.5. Fronteiras ampliadas II Sm. 8.13-15.
1.6. Nenhuma derrota no campo de batalha.
1.7. Exportações, importações e finanças sólidas.


2. O DESCUIDO LEVA AO FRACASSO (II Sm 11.1-27).
2.1. Resumo do Texto: v1 - Enquanto Joabe sitia Rabá, Davi comete adultério com Bate-Seba. V6 - Davi manda chamar Urias; este não vai para casa. V14 - Urias leva a Joabe a carta de Davi, carta que lhe custa a vida. V18 - vJoabe envia a notícia da morte de Urias a Davi. V26 - Davi toma Bate-Seba por mulher.
2.2. Como o reinado de Davi estava consolidado, possivelmente ele achou não haver necessidade de ir batalhar com seu exército, e tão somente governar e administrar o seu reino II Sm. 11.1. Como teria sido melhor se o rei tivesse ido com as tropas para o campo de batalha!
2.3. Os passos da queda. O processo de queda na vida de Davi foi gradual, como geralmente se processa na vida do homem.
2.3.1. Contrariou uma lei divina para o rei de Israel.
2.3.1.1. Em Deu. 17: 15-17, está descrito como seria o futuro Rei do povo de Deus. 1- Deveria ser escolhido pôr Deus. V15. 2- Ser israelita. V 15. 3- Não deveria imitar os reis das outras nações em seu desejo de possuir cavalos, mulheres e muito dinheiro. Salomão filho de Davi com Bate-Seba, também desobedeceu a lei divina. 1Reis 10:28 – 11.
2.3.1.2. A monogamia é prescrita na palavra de Deus e permite a unidade dos cônjuges. Gen. 2: 18-24; Mat. 19: 5 e 1Cor. 6: 16.
2.3.1.3. O criador defende a monogamia, ao fazer nascer um numero aproximadamente igual de machos e fêmeas, querendo assim que o casamento seja uma relação permanente. Mat. 19: 6.
2.3.1.4. Temos os exemplos na Bíblia: Adão, Caim, Noé e outros foram monógamos.
2.3.1.5. A poligamia e também a bigamia, ao contrario da monogamia, torna impossível a unidade dos cônjuges.
2.3.1.6. O primeiro caso de bigamia, aparece em Gen. 4:19, com Lameque, quebrando assim a pureza do matrimonio.
2.3.1.7. A poligamia é alimentada pelos impulsos carnais, quando da escolha das companheiras. Gen. 6: 1,2.

2.3.2. Acomodou-se em uma situação de conforto (II Sm 11.1). Resultado: Enquanto Joabe sitia Rabá, Davi comete adultério com Bate-Seba.

2.3.2.1. Davi viu a mulher banhando-se. v.2.
2.3.2.2. Não se desviou da tentação. Pv. 4.25-27; Mt. 6.22,23; Lc. 11.34.
2.3.2.3. Não temeu a Deus. (Dt. 17.15-20).
2.3.2.4. Desrespeitou ao seu servo Urias. Em II Sm 11.3, Davi recebe informações de que a mulher era esposa de um dos componentes da sua guarda real. Urias ainda que heteu, tinha um nome hebreu que significa “o Senhor (Jeová) é a minha luz”, o que nos faz entender que este homem se converteu a fé israelita e servia ao Deus de Israel.

2.4. Um pecado leva a outro. Sl. 42.7. - Após receber a notícia de que Bate-Seba está grávida, o rei começa um grande esforço para encobrir o seu pecado II Sm.11.5.
2.4.1. Convoca Urias com o pretexto de inquiri-lo sobre a guerra, mas o objetivo era permitir que ele fosse dormir em sua casa (II Sm. 11.6-9).
2.4.2. Urias revelou-se um homem com mais qualidades que Davi por seus atos e sua lealdade aos que estavam no campo de batalha (II Sm. 11.9-12).
2.4.3. Na segunda tentativa mesmo embriagando o seu servo Urias, não conseguiu o seu objetivo. (v.13)
2.4.4. Terceira e última tentativa para ocultar o seu pecado (vv.14-17).
2.4.5. Em meio ao declínio espiritual, vem a insatisfação de Deus (v.27).


3. DAVI REPREENDIDO E HUMILHADO PERANTE O SENHOR (II Sm 12.1-15).
3.1. O pecado de Davi ficou em segredo por um período de aproximadamente um ano, até que Deus enviou o profeta Natã para repreendê-lo.
3.1.1. Deus revela o duplo pecado de Davi no tempo certo (v.1).
3.1.2. Deus escolheu a pessoa certa para repreender Davi, pois Natã era um profeta respeitado pelo rei.
3.2. Davi arrepende-se de seus pecados (v.13; Sl 51). A situação do rei Davi não era nada fácil, pessoalmente estava cheio de culpas (Sl. 32.1-6). Encontramos agora, um homem, sedento de perdão, confessando humildemente seus atos pecaminosos.
3.3. Davi reconhece seus pecados, confessa-os e implora a pureza e a santidade. (Sl. 51.2-9).
3.3.1. Purifica-me (alude a cerimônia legal de purificar a quem teve contato com um cadáver ou ao leproso)
3.3.2. Com Hissopo - uma planta usada com propósitos medicinais e religiosos (usada pelos hebreus em seus rituais de aspersão). A planta usada para borrifar o sangue sobre um leproso para sua purificação e cura (Lv. 14.4; Hb. 9.13,14; 12:24). Outro tipo de uso está em Êxodo 12:22 e Num. 19:6-11, a água preparada com a mistura das cinzas da novilha e separada para a finalidade especial de aspersão sobre as pessoas que haviam tocado qualquer coisa imunda.
3.3.3. Lava-me - a língua hebraica emprega duas palavras para se referir a “lavar”; a primeira é aplicada para lavar o corpo, a louça da cozinha ou qualquer objeto que possa ser mergulhado ou sobre o qual possa derramar água. Mas o salmista usa “Kabac” = lavar (usando os pés), ser lavado, executar o trabalho de um lavandeiro ou pisoeiro, ser pisoado. Significa lavar vestimentas ou batê-las com uma vara ou batê-las enquanto estão estendidas sobre uma pedra plana, submersa em água. O rei Davi sabe da gravidade do seu pecado e que o tratamento adequado era este.

3.3.4. Cria em mim ó Deus... (Sl.51.10) - A palavra “cria” é usado na operação criativa de Deus, trazendo a existência, o que não existia antes. O salmista não deseja apenas uma restauração, mas uma mudança radical do seu coração e do espírito.
3.3.5. O desejo ardente de estar em comunhão com Deus e não perder o Espírito Santo (Sl. 51.11)
3.3.6. A pureza traz alegria da salvação e um espírito voluntário, ou seja, pronto a obedecer (Sl. 51.3-6).

CONCLUSÃO - Um coração quebrantado e contrito não será desprezado por Deus. Devemos como Davi desejar ardentemente a pureza e a santidade, e, quando preciso, nos arrependermos de nossos caminhos. Arrependimento é mudar de rumo, com base na verdade e seguir na direção oposta, afastando-se completamente do pecado. (Pv. 28.13).

2 comentários:

André Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.